Poema: Sagrada

sábado, agosto 08, 2015

Resenha: Os Três Lobinhos, Um Conto de Fábio Yabu

Olá Flores,

O conto intitulado “Os Três Lobinhos” foi publicado em 2013 pela Editora Globo S.A como parte do livro “Branca dos Mortos e os Sete Zumbis e Outros Contos Macabros” da autoria de Fábio Yabu, cronista e autor de diversas obras.
Neste livro Yabu lança um novo olhar sobre alguns contos de fadas e fabulas, conferindo outras percepções sobre os personagens.  Além disso, ele conduz as narrativas por diferentes perspectivas e desfechos, desmistificando estereótipos e questionando verdades absolutas.
Assim como na antiguidade a educação das crianças e jovens davam-se por meio dos mitos e epopeias enquanto em um passado menos remoto surgem as fabulas e contos de fadas para cumprir este papel educativo na sociedade.
Por exemplo, ao invés dos pais dizerem a seus filhos para evitar conversa com estranhos e caminhos desertos eles contavam a fábula Chapeuzinho vermelho e o Lobo Mal. Para instruí-los a dedicarem-se ao trabalho lançavam mão da fábula A Cigarra e a Formiga, Os Três Porquinhos entre outros.
E justamente fazendo uma releitura da fabula Os Três Porquinhos que Yabu escreve Os Três Lobinhos. Vamos ao conto!

No universo criado pelo autor, era comum que toda Mamãe Loba contasse as seus filhotes sobre a era em que os Lobos eram as criaturas mais poderosas e extraordinárias de todas. Fortes predadores, os lobos controlavam a todos os outros animais e os mantinha sob seu domínio. Eles eram guardadores dos tesouros da natureza e apenas aos deuses davam satisfação de seus atos.
Até que certa vez os poderosos lobos foram acusados de estarem se multiplicando descontroladamente e devorando todas as criaturas vivas. Sendo assim foram proibidos pelos deuses de se alimentarem das criaturas mais fracas, sem presas e menos inteligente como os porcos e os humanos. Desobediências não seriam toleradas e seriam sumariamente punidas.
Com o passar do tempo os lobos foram perdendo toda sua magnificência e entrando em uma era de escassez e grande privação. Tornando-se cada vez mais mirrados e fracos os lobos não passavam de meros cães temerosos e assustados.

Até que três irmãos Lobinhos ficaram sabendo de toda esta historia e resolvem se rebelar contra aquele sistema perverso que estava tornando os lobos praticamente extintos além de desprovidos de seu orgulho e prestigio de antes.
Os três irmãos lobinhos não conformados com tanta arbitrariedade começam então agir. O primeiro lobinho espreita e ataca um porco gordo e bonachão que corre e se esconde em uma casa muito forte juntamente com seus irmãos porcos. O lobinho escutando as galhofas dos três porcos fica ainda mais nervoso e resolve pular a chaminé da casa caindo então em um caldeirão de óleo fervente e morre em agonia.
Ao saber do ocorrido com seu irmão lobinho, o segundo lobinho corre e se esconde na mata. Passado pouco tempo surge na floresta uma menina cantarolando. O segundo lobinho então movido pelo desespero da dor e da fome ataca a menina a devorando em poucos minutos. Porem ele não teve a mínima chance, pois em segundos surge um humano armado com facões que parte a barriga do pobre lobinho tirando a menina ainda viva lá de dentro.
Aumenta o terror do terceiro lobinho, mas também a sua força de vontade de mudar aquela situação. Então ele passa a espreitar os humanos, a observá-los dia após dia, minuto a minuto e segundo a segundo.
Até que um dia o terceiro lobinho foi descoberto por um menino morador de uma vila e este menino começou a fazer chacota com o terceiro lobinho que ficava mais e mais humilhado.
Sempre que o menino via o lobinho ele gritava: - Olha o lobo! Olha o lobo! – Quando escutavam os gritos do menino, os moradores da vila vinham correndo e armados até os dentes para defender o menino da fera. Mas quando chegavam lá e viam apenas o pobre e flagelado lobinho iam embora enquanto o menino ria sem parar da troça que havia feito.
Esta situação se repetia quase todos os dias, o menino gritava, os aldeões o atendiam para em seguida constatar a sua troça. Até que um dia o menino gritou e cansados das brincadeiras do menino nenhum aldeão foi a seu socorro. Notando isso, o lobinho que se sentia muito fraco, faminto e humilhado pelo menino, consegue reunir suas parcas forças e o ataca e o devora.
Com a barriga cheia e se sentindo revigorado pelo farto banquete o lobinho espera o castigo que viria a seguir, de certo os deuses estariam furiosos com sua desobediência, mas o lobinho não estava arrependido pelo contrário ele se sentia satisfeito.
Como o castigo não veio o lobinho então concluiu que alguns homens também deveriam estar em descredito com os deuses e rapidamente este fato se espalhou por onde existisse um lobo na terra.
Aos poucos os lobos foram se recuperando e se fortalecendo, não como antes, mas o bastante para recuperar a dignidade e garantir a sobrevivência da raça. E é por isso que toda Mamãe lobo conta esta história ate hoje para seus filhotes.
Esta releitura de Fábio Yabu vem reafirmando a importância de se contar os muitos lados de uma mesma historia. Atualmente não é aconselhável incutir nas crianças ideias pré-fabricadas, antes devemos incentivá-las a pesquisar e averiguar os fatos por conta própria formando assim uma opinião clara e com a máxima lucidez possível.

A literatura que se tornou uma importante aliada da educação em contexto escolar deve ser trabalhada com o cuido de não recorrermos a ela com o intuito de reforçar preconceitos nem favorecer a alienação das crianças.
Com isso esperamos tornar o leitor-aluno mais preparado para avaliar, analisar e tornar suas decisões assim como seus julgamentos mais assertivos e coerentes.

Mordidas Poéticas, 
Acj
Reações:

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

O texto desta postagem foi produzido e elaborado por mim, Lunna Marcela e pensado em você cara leitora. Aqui tento colocar em palavras aquilo que me representa, que possa te alegrar e também representar de alguma forma. Deixe seu comentário pois ele é muito importante para mim....Bls Mil <3

"Seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito"

Social Profiles

Twitter Facebook Google Plus LinkedIn RSS Feed Email Pinterest
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores

Editoras Parceiras

Flor Roxa no Face

Autores Parceiros

Google+ Followers

Posts Populares

TOP COMENTARÍSTAS

Estante Skoob

comentáriosface

Tradutor

Descrição do Flor Roxa

Quando falar já não é suficiente para expressar a nossa essência, nós basta viver em poesia constante.

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Unordered List

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sample Text

Leve a Flor

Flor Roxa Poemas e Poesias - Dicas para blogs

Theme Download

Marcadores

#brasilemprosa Amor Anderson Henrique As Aventuras de Pinóquio Autor Autor Parceiro Autores Nacionais Beijo blog parceiro book tour Bruno Félix Butterfly Editora Carina Rissi Chiado Editora Concurso Literário Contos Crimes do Tarô Crossfire David Cohen Denuncia Dia dos Namorados Divulgação Editora Ática Editora Biruta Editora Globo Editora InVerso Editora Jose Olympio Editora Mulheres Editora Parceira Eduardo Rossato Em Busca das Borboletas EraEclipse Editora Eykler Simone Feminismo Ficção Flávia Mariano Florbela Espanca Fml Pepper Gilka Machado Golfinhos e Tubarões Happer Lee Herdeiro Sevenwatars Hot Hudson Ribeiro Infancia Infanto-juvenil Izabel Brandão Janethe Fontes Jean Shinoda Bolen Juliet Marillier Lançamentos Leonardo Nóbrega Lilian Farias Literatura Literatura Capixaba Literatura Fantastica Literatura Infanto-Juvenil Literatura nacional Livro de colorir Livros Lost Girl Luta pelo fim do racismo e preconceito na literatura Marçal Aquino Margarida Pizarro Maria Wilker Mitos mudança de vida Mulher Mulheres na Poesia Musica Não Pare Negritude O Mundo Encantado das Cores O Segredo de Índie O sol é para todos Outros Tempos Parceiros parcerias Petit Editora Pettit Editora Play List Poemas poemas autorais Lunna Marcela Poesias Projeto 10x10 Promoção promoção Literária Racismo Ramones Resenha Resistência romance Romance Espirita Romance Hot Sagrado Feminino Sarah Kilimanjaro Série de TV Série Vagalume Sevenwaters sociedade celta. A filha da floresta Sol e Lua Sororidade Sorteio Suzana Albornoz Sylvia Day TAGS Tais Cortez Textos Poéticos The L World The Musketereers Trechos de Musica Vikings What Wonderful World

Copyright © Flor Roxa | Powered by Blogger
Design by Lizard Themes | Blogger Theme by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...